Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
330,00 310,00 326,00
GO MT RJ
313,00 308,00 304,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2620,00
Garrote 18m 2920,00
Boi Magro 30m 3610,00
Bezerra 12m 2300,00
Novilha 18m 2670,00
Vaca Boiadeira 2840,00

Atualizado em: 27/1/2022 11:18

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Vacinação contra aftosa é prorrogada em SP

 
 
 
Publicado em 29/11/2021

O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) atendeu um pedido feito pela Federação da Agricultura do Estado de São Paulo (FAESP) e prorrogou do prazo de vacinação do gado bovino e bubalino contra a febre aftosa. O pedido da Federação e da Coordenadoria de Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo (CDA/SP) junto ao MAPA alertou para a dificuldade dos produtores paulistas em comprar as vacinas. A segunda etapa da campanha de imunização contra a febre aftosa no Estado de São Paulo começou em 1º de novembro e terminaria dia 30 (terça-feira). O novo prazo, conforme comunicado divulgado hoje (29 de novembro) pelo MAPA, passou para 31 de dezembro, e a declaração do produtor deve ser feita em até 7 dias após o término da etapa de vacinação. A FAESP acredita que esta é tendência, mas a confirmação oficial depende da CDA/SP

"O produtor não poderia ser prejudicado pela falta de vacinas e, por isso, a FAESP alertou para o problema e foi atendida pelo MAPA. Afinal, os produtores paulistas são os principais interessados em cumprir todas as normas sanitárias. Tanto que o último foco de febre aftosa no Estado ocorreu há 26 anos e o sucesso da erradicação se deve, em grande parte, aos pecuaristas, que realizaram com eficiência a imunização dos animais durante as campanhas movidas pelos órgãos sanitários", afirma o presidente da FAESP, Fábio de Salles Meirelles.

O MAPA prorrogou o prazo com o propósito de evitar o comprometimento nos resultados da etapa de vacinação contra a aftosa. A FAESP recebeu informações de sindicatos rurais de que muitos produtores não conseguiram adquirir vacinas em razão da falta do produto nos postos de revenda, A Federação também recebeu informes de que a vacina subiu de preço. Na campanha passada, a FAESP apurou um teto de R$ 1,60 a dose. Houve informações de produtores pagando até mais de R$ 2,00 por dose.

A vacinação nessa etapa é obrigatória para bovinos e bubalinos com até 24 meses de idade. Depois de vacinar o animal, o pecuarista tem de lançar a informação no Sistema GEDAVE (Gestão de Defesa Animal e Vegetal) por meio do seu cadastro.

A FAESP monitorou de perto a situação, primeiramente recebendo o retorno dos Sindicatos Rurais. E posteriormente passou a conduzir mais ativamente esse monitoramento, por meio de uma pesquisa junto à rede sindical e realizando a gestão junto à Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA ) e ao Ministério da Agricultura e Abastecimento (MAPA).

Foi constatado que em Monte Aprazível, Brotas, Cruzeiro, Cachoeira Paulista e Patrocínio Paulista houve reclamações de falta de doses de vacinas, com uma situação anormal para este período. Em Barretos, foi apurado que somente uma revenda comercializava o produto, também uma situação atípica para a época.

Já em Araçatuba, as cooperativas realizaram grandes compras e dessa maneira os médios e grandes produtores foram abastecidos no começo da campanha. Mas não havia disponibilidade de frascos com poucas doses, o que dificultou a vida dos pequenos produtores.

A produção do imunizante é solicitada pelo Mapa junto a entidade que representa os fabricantes. Essa solicitação já contempla o volume necessário para condução das duas campanhas ao longo do ano. Por isso, em tese, não deveria ocorrer a falta de vacinas. Contudo, em campanhas anteriores, problemas de logística e distribuição acabaram prejudicando o acesso dos produtores rurais à vacina. Com informações do MAPA e da FAESP.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[27/01/2022] - Arroba: boi China vale até R$ 10 a mais por arroba
[27/01/2022] - Custo de produção do boi segue em disparada
[27/01/2022] - Milho: até onde vão os preços?
[27/01/2022] - Milho em alta em Mato Grosso do Sul
[27/01/2022] - Entidade protesta contra imposto sobre o milho
[27/01/2022] - Chuva deve trazer alívio a produtores do Sul
[27/01/2022] - CNA pede ajuda para produtores afetados pelo clima
[27/01/2022] - Brasil parte para retaliação em disputa comercial

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[26/01/2022] - Pecuaristas protestam contra queda do leite
[26/01/2022] - EUA: deputados culpam frigoríficos por carne cara
[26/01/2022] - Arroba: mercado lento em SP
[26/01/2022] - Preço da carne bovina caiu no atacado
[26/01/2022] - Batistas fecham acordo com a CVM sobre a Eldorado
[25/01/2022] - Exportações de carne bovina dispararam em janeiro
[25/01/2022] - Demanda pela carne brasileira deve continuar forte
[25/01/2022] - Exportações do Agro bateram recordes em dezembro
[25/01/2022] - Arroba: pressão de baixa perdeu força
[25/01/2022] - Arroba: semana começa com poucos negócios
[24/01/2022] - EUA liberam exportações de unidade do Minerva
[24/01/2022] - Arroba: mercado continua lento
[24/01/2022] - Safra de milho tem fortes perdas em MG
[24/01/2022] - Milho em alta preocupa compradores
[24/01/2022] - Tabela de fretes sobe quase 10%
[21/01/2022] - Boi parado há nove dias em São Paulo
[21/01/2022] - Frigoríficos pagam até R$ 10 a mais por boi China
[21/01/2022] - Importador prevê mais carne brasileira na China
[21/01/2022] - Diferença entre boi e frango é a segunda maior
[21/01/2022] - Brasil importou menos lácteos em 2021
[21/01/2022] - O calor vai continuar no Rio Grande do Sul?
[20/01/2022] - EUA lideram compras do Brasil pelo segundo mês
[20/01/2022] - Arroba: mercado parado em SP
[20/01/2022] - MS: pecuaristas pagaram a conta do embargo chinês
[20/01/2022] - Prefeitura pede que JBS devolva terreno
[20/01/2022] - Milho já passa de R$ 100 a saca no Sul
[20/01/2022] - Itália tenta conter surto de peste africana
[19/01/2022] - Arroba: exportações podem bater recorde histórico
[19/01/2022] - Agro domina exportações em portos do Paraná
[19/01/2022] - Marfrig: ômicron não afeta abates
[19/01/2022] - Pecuaristas recusam acordo com frigorífico fechado
[19/01/2022] - Leite: ano pode ser complicado para o produtor
[19/01/2022] - Milho volta a rondar os R$ 100 a saca
[19/01/2022] - IGP-M volta a acelerar
[18/01/2022] - Exportações de carne estão acima de janeiro 2021
[18/01/2022] - Arroba: cenário de estabilidade
[18/01/2022] - Escalas estão menores em Mato Grosso
[18/01/2022] - Briga por ICMS sobre o milho vai à Justiça
[18/01/2022] - Pecuaristas protestam contra a Globo Rural
[17/01/2022] - Arroba: nem pra cima, nem pra baixo
[17/01/2022] - Frigorífico fecha e deixa dívida milionária
[17/01/2022] - Milho volta a ser negociado acima de R$ 100 a saca
[17/01/2022] - JBS anuncia novo presidente da JBS Brasil
[17/01/2022] - Globo Rural ataca a Pecuária brasileira
[17/01/2022] - Estados decidem elevar ICMS sobre combustível
[14/01/2022] - PIB do Agro cresceu 10% em 2021
[14/01/2022] - Arroba: pecuarista vai segurar o boi
[14/01/2022] - Arroba: preços não acham espaço para cair
[14/01/2022] - Milho: produção deve crescer em 2022
[14/01/2022] - Varejo vendeu mais puxado por supermercados

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br