Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
313,00 303,00 312,00
GO MT RJ
304,00 296,00 298,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2620,00
Garrote 18m 2900,00
Boi Magro 30m 3420,00
Bezerra 12m 2240,00
Novilha 18m 2680,00
Vaca Boiadeira 2840,00

Atualizado em: 7/12/2021 11:00

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Preço da carne ainda não acompanhou queda do boi

 
 
 
Publicado em 25/10/2021

O embargo da China à carne bovina do Brasil completou 50 dias, ao longo dos quais houve tentativas malsucedidas do Ministério da Agricultura de desatar esse nó. Em um cenário de incerteza sobre quando o maior importador da carne brasileira — os chineses compram mais de 60% do total das exportações da proteína feitas pelo país — reabrirá seu mercado, a cotação do boi gordo já caiu 14,3%.

Em 3 de setembro, último dia útil antes do embargo, o preço da arroba estava em R$ 305,50, segundo levantamento da Scot Consultoria; na última sexta-feira, a cotação já havia recuado a R$ 262 em São Paulo. No entanto, a desvalorização do animal vivo ainda não chegou às gôndolas dos supermercados, onde o preço da carne está, em média, 1,8% acima do patamar pré-bloqueio, de acordo com o levantamento.

Nesses 50 dias, a barreira comercial chinesa não foi o único percalço no mercado da carne bovina. Segundo a analista Jéssica Olivier, da Scot, a oferta de animais terminados em confinamento cresceu, o que exige aceleração nas negociações. “Com a chegada das chuvas, a capacidade de ganho de peso dos animais diminui um pouco, então o pecuarista precisa vendê-los”, diz.

O aumento da oferta deve ser enxugado nos próximos 15 dias, acredita a analista. O ritmo de queda do preço do boi tem diminuído, indicando que a arroba pode se estabilizar e, depois desse intervalo, até aumentar, de R$ 5 a R$ 6. “Mas não acredito que seja algo muito positivo [para os preços]”, avalia.

Na contramão da matéria-prima, a carne bovina vendida no atacado paulista subiu 4,46% entre os dias 1° de setembro e 20 de outubro, passando de R$ 31,93 para R$ 32,79 o quilo. Os cortes traseiros (onde ficam, por exemplo, a picanha e o filé mignon) puxaram esse avanço: nesse intervalo, eles subiram 6,2%, de R$ 34,27 para R$ 36,41 por quilo. Já os cortes dianteiros, onde estão as carnes magras que a China mais consome, passaram de R$ 23,72 para R$ 23,13 por quilo, um declínio de 2,5%.

Com a alta de 1,8% nesse período, os preços no varejo em São Paulo foram de R$ 42,90 para R$ 43,67 o quilo. Os varejistas têm procurado recuperar um pouco suas margens operacionais, pressionadas pela alta da arroba do boi nos últimos meses. Para a analista da consultoria, ainda deve demorar um pouco até que a queda dos preços da carne bovina chegue efetivamente ao consumidor final.

Com a extensão do bloqueio chinês, as perdas da pecuária se avolumam. Segundo cálculos do Instituto Mato-Grossense da Carne (Imac) feitos com base em relatórios de exportação da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), os prejuízos à pecuária brasileira chegam a US$ 10,4 milhões por dia útil sob embargo. Para Mato Grosso — Estado que registrou um dos dois casos atípicos do mal da “vaca louca” que levaram à interrupção das vendas aos chineses —, a perda é de US$ 4,4 milhões, calcula o Imac.

O clima de incerteza tem afetado os pecuaristas e a indústria, que vem intercalando os dias de abate e reduzindo as compras de animais até ter certeza de que a China voltará a importar, conta Jéssica Olivier. Os negócios esfriaram em diversos elos da cadeia. Com menos compras de animais de reposição, os preços do bezerro caíram 3,7% entre 2 de setembro e 21 de outubro, para R$ 2.600 por cabeça, segundo a Scot.

“Ninguém sabe como será daqui para frente, qual será o novo patamar da arroba do boi, para que se faça o ajuste em toda a cadeia”, diz a analista. “Ninguém vai querer comprar um bezerro muito caro”. Ela lembra que, com a alta da arroba, os pecuaristas vinham retendo fêmeas para produzir bezerros. “Os agentes consultados nos dizem que está tudo parado no campo”, afirma.  Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[07/12/2021] - Arroba: boi ainda sobe em algumas regiões
[07/12/2021] - Arroba: pressão dos grandes frigoríficos
[07/12/2021] - Abates em alta em Mato Grosso
[07/12/2021] - Leite: como ficarão os preços em dezembro?
[07/12/2021] - Milho: preços perderam força em novembro
[06/12/2021] - EUA não vão parar de importar carne do Brasil
[06/12/2021] - Não vai ter carne para atender chineses

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[06/12/2021] - Arroba: frigoríficos vão pagar ainda mais?
[06/12/2021] - Arroba: mercado de olho no consumo
[06/12/2021] - Milho: vendedores seguram oferta e preço sobe
[03/12/2021] - Arroba: referências em alta
[03/12/2021] - Arroba: frigoríficos pagam bem mais
[03/12/2021] - Leite: mercado sofre ajuste
[03/12/2021] - Exportações do Agro cresceram quase 20%
[03/12/2021] - Agro precisa de apoio, diz FAESP
[03/12/2021] - Minerva conclui compra de frigoríficos
[03/12/2021] - Crédito rural: contratações cresceram 23,5%
[02/12/2021] - Arroba: frigoríficos entram com força na compra
[02/12/2021] - CEPEA: boi volta a bater nas máximas
[02/12/2021] - Rússia habilita mais duas unidades para exportação
[02/12/2021] - Vizinhos da Rússia também querem importar carne
[02/12/2021] - Por que o PIB do Agro caiu?
[02/12/2021] - Inflação medida pelo IPC também perdeu força
[01/12/2021] - Arroba: boi segue em alta
[01/12/2021] - Arroba: frigoríficos já estão pagando mais em SP
[01/12/2021] - EUA devem aumentar importação de carne do Brasil
[01/12/2021] - Exportações: volume caiu, mas preço da carne subiu
[01/12/2021] - Deputados debatem aumento de custo na pecuária
[01/12/2021] - MAPA prorroga vacinação em 14 estados
[01/12/2021] - Câmara aprova indenização a pecuaristas
[30/11/2021] - Arroba: frigoríficos pagam acima da referência
[30/11/2021] - Scot vê oferta curta de boi
[30/11/2021] - Boi gordo em alta em Goiás
[30/11/2021] - Abates aumentaram 18% em Mato Grosso
[30/11/2021] - Frigoríficos prevêem disparada do boi
[30/11/2021] - Leite: preço do leite caiu com força
[30/11/2021] - Senado aprova preço mínimo para perecíveis
[30/11/2021] - Tereza: produtor precisa ser pago por preservação
[29/11/2021] - Arroba: mercado agora espera sinal do consumo
[29/11/2021] - Embargo chinês é jogada comercial, diz produtor
[29/11/2021] - Ministro chama ameaça da UE de protecionismo
[29/11/2021] - Milho: preços reagem após 2 meses de queda
[29/11/2021] - Vacinação contra aftosa é prorrogada em SP
[29/11/2021] - Leite: indústrias reclamam de queda nas vendas
[29/11/2021] - IGP-M perde força e fica abaixo das previsões
[26/11/2021] - Arroba: boi em alta, carne também subiu
[26/11/2021] - Arroba: preços também subiram em SP
[26/11/2021] - Margem do pecuarista deve subir se China voltar
[26/11/2021] - Confinamento cresceu em 2021 e deve crescer mais
[26/11/2021] - EUA: Brasil lidera produtividade agropecuária
[26/11/2021] - Economia: atividade cresceu 2% em outubro
[26/11/2021] - Senado aprova projeto que pode reduzir frete
[25/11/2021] - Arroba: mercado em alta
[25/11/2021] - CEPEA vê arroba do boi a R$ 310
[25/11/2021] - Milho cai em Mato Grosso do Sul
[25/11/2021] - Produtores de suínos comemoram abertura russa
[25/11/2021] - Arbitragens mostram a briga por trás da JBS

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br