Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
301,00 291,00 297,00
GO MT RJ
285,00 294,00 292,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2940,00
Garrote 18m 3360,00
Boi Magro 30m 3970,00
Bezerra 12m 2610,00
Novilha 18m 3010,00
Vaca Boiadeira 3220,00

Atualizado em: 7/5/2021 10:29

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Abates caíram 60% em Mato Grosso do Sul

 
 
 
Publicado em 15/04/2021

A falta de boi no campo, o alto preço da arroba e a diminuição do consumo ocasionada pelo baixo poder de compra da população brasileira, tem obrigado os frigoríficos a diminuir drasticamente a quantidade de abates de bovinos em Mato Grosso do Sul.

De acordo com o presidente da Assocarnes (Associação de Matadouros, Frigoríficos e Distribuidores de Carnes de Mato Grosso do Sul), Sérgio Capucci, a situação é delicada, e caso o cenário não mude, poderá haver um grande fechamento em indústrias frigoríficas do estado.

“Os abates para frigoríficos que não são exportadores caiu em até 60%, falta boi no campo, os preços são altos e o poder de compra do brasileiro diminui muito. Quem está na cadeia do meio, que são os frigoríficos, sofreram um grande impacto. Até os grandes que fazem exportações tiveram uma diminuição de 10%. Por enquanto o setor está se mantendo, mas não está longe de acontecer um grande fechamento”, relata.

Em 2020, foram abatidos 3,2 milhões de cabeças de bovinos em Mato Grosso do Sul, o número pode parecer alto, mas de acordo como IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), representa uma queda de 13,9% em relação a 2019. O estado foi o que teve a 2ª maior queda entre as 24 federações que tiveram variação negativa.

Acompanhe as cotações da arroba do boi gordo e da reposição em: www.pecuaria.com.br/cotacoes.php

Enquanto os volumes de abates atingem mínimas históricas a indústria frigorífica enfrenta ainda dificuldades em repassar para o consumidor final o aumento de custos gerado pela disparada da arroba do boi gordo, que em Mato Grosso do Sul já ultrapassa R$ 300.

“São vários desestímulos, a seca no pasto já vem durando alguns anos, o milho está caríssimo, a produção do bezerro ficou cara, todos esses fatores aumentam o preço do boi vivo e a cadeia do meio é a que mais sofre. Não conseguimos repassar o aumento do boi para o consumidor final, se fosse repassar era pra carne estar muito mais cara”, reitera o presidente da Assocarnes.

Mesmo sem conseguir repassar todo o valor, o aumento de custos gerado pela alta do boi gordo, já reflete nas gôndolas dos supermercados e açougues brasileiros e tem obrigado os consumidores fazer adaptações.

De acordo com Róger D'Ávila, que há 5 anos administra um açougue em Campo Grande, apesar de estar bem abastecido de mercadoria, o movimento reduziu nos últimos tempos e as altas nos preços de cortes especiais fez com que os consumidores optassem por carnes de segunda, como músculo, agulha, miolo de paleta, capa de conta filé, costela e outras carnes com osso.

“A procura diminuiu muito, as pessoas têm procurado preços baixos e promoções, além disso aumentou o consumo a carne de segunda. Cortes especiais diminuiu muito, trabalho com carnes frescas então tenho que me programar para a carne não ficar estocada no freezer, tem que ter giro”, comentou o proprietário do comércio.

O cenário de incertezas no mercado preocupa o empresário. “Consigo manter um padrão de vendas por conta da localidade, nas vi muitos amigos que tinham açougues pequenos precisando fechar as portas”, enfatizou. Com informações do Campo Grande News.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[07/05/2021] - Arroba: volume de negócios está fraco
[07/05/2021] - Quanto está valendo o boi em São Paulo?
[07/05/2021] - China: importações de carne próximas a recorde
[07/05/2021] - Arábia Saudita embarga frigoríficos brasileiros
[07/05/2021] - O que está por trás do embargo saudita?
[07/05/2021] - Câmara aprova cota para leite nacional na merenda
[07/05/2021] - Polícia faz operação contra roubo de gado em MS

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[07/05/2021] - Bolsonaro vai a manifestação de produtores rurais
[06/05/2021] - Queda do boi não vai durar muito
[06/05/2021] - Arroba: frigoríficos pagam menos em SP
[06/05/2021] - Leite: produtor recebeu mais, mas riscos continuam
[06/05/2021] - Custo de produção do leite segue nas alturas
[06/05/2021] - Qual a previsão para o preço do milho?
[06/05/2021] - Governo esgota orçamento para crédito subsidiado
[06/05/2021] - Crédito rural cresceu 12% em um ano
[06/05/2021] - Bolsonaro deve mandar Força Nacional a Rondônia
[06/05/2021] - Tereza pede aprovação rápida da regularização
[05/05/2021] - Arroba: pressão continua
[05/05/2021] - Arroba: frigoríficos compram pouco
[05/05/2021] - Frigoríficos: unidades em férias já voltaram
[05/05/2021] - Lácteos têm pequena alta, mas cenário preocupa
[05/05/2021] - Lucro do Minerva cai com alta do boi
[05/05/2021] - Inseminação pode crescer 25% em 2021
[05/05/2021] - Europeus não querem regularização no Brasil
[05/05/2021] - Regularização fundiária não favorece a grilagem
[04/05/2021] - Frigoríficos seguram as compras
[04/05/2021] - Preço do boi tem pequena queda em Goiás
[04/05/2021] - Arroba: boi não cai em Mato Grosso
[04/05/2021] - Safra de milho deverá ser menor que o esperado
[04/05/2021] - Preço do milho pode subir ainda mais
[03/05/2021] - Exportações de carnes: o melhor abril da história
[03/05/2021] - Bolsonaro defende direito de propriedade
[03/05/2021] - Arroba: frigoríficos já escalados para esta semana
[03/05/2021] - Confinadores tentam reduzir custos
[03/05/2021] - Milho: produtores continuam segurando vendas
[03/05/2021] - Deputado quer criar mais despesa para pecuarista
[03/05/2021] - Criminosos simulam compra e roubam gado
[03/05/2021] - Governo prorroga dívidas de produtores rurais
[30/04/2021] - Força Nacional vai atuar contra grupo armado em RO
[30/04/2021] - Agro: maior geração de empregos desde 2007
[30/04/2021] - Arroba: pressão aumenta mas pecuarista resiste
[30/04/2021] - Leite: preço reage e volta a subir
[30/04/2021] - Milho: governo anuncia medidas para ampliar oferta
[30/04/2021] - Milho: já tem gente querendo R$ 110 pela saca
[30/04/2021] - Vacinação contra aftosa começa amanhã
[29/04/2021] - Queda do boi não deve durar muito
[29/04/2021] - Scot: oferta aumentou, mas boi segue a R$ 312
[29/04/2021] - Alta do boi não compensa valorização do milho
[29/04/2021] - Custo da recria e engorda disparou em MT
[29/04/2021] - Pressão de ambientalistas atrasa regularização
[28/04/2021] - Roubo de gado atrai crime organizado
[28/04/2021] - Grupo armado invade fazenda e tortura funcionários
[28/04/2021] - Polícia faz operação contra carne de gado roubado
[28/04/2021] - Arroba: boi China continua em alta
[28/04/2021] - Arroba: frigoríficos testam preços menores
[28/04/2021] - Leite não sobe mesmo na entressafra
[28/04/2021] - Milho: tarifa zero não afetou preços

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br