Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
299,00 288,00 295,00
GO MT RJ
285,00 292,00 290,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2850,00
Garrote 18m 3110,00
Boi Magro 30m 3890,00
Bezerra 12m 2520,00
Novilha 18m 2870,00
Vaca Boiadeira 3140,00

Atualizado em: 14/5/2021 10:10

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Bezerro caro deve derrubar confinamento em 10%

 
 
 
Publicado em 05/04/2021

Há 50 anos atuando na pecuária, Carlos Guaritá, de Mato Grosso do Sul, nunca viu uma valorização tão expressiva do bezerro. “Tem gente vendendo o bezerro mamando no pé da vaca porque a pessoa está com tanta vontade de comprar que compra o bezerro para receber em abril e maio”, conta.

Segundo ele, as operações ocorrem com parte do pagamento no ato da reserva e o restante na entrega. “Eu, há tantos anos na atividade, nunca tinha visto isso como tenho visto de dois anos pra cá.”

A demanda aquecida pelos animais ocorre a despeito dos preços recordes. A alta acumulada no preço do bezerro nos últimos 12 meses atingiu 60% em março, superando a valorização da arroba do boi gordo no mesmo período, cujo preço subiu de 51,4%. O levantamento é do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea-Esalq/USP).

“Normalmente, um bezerro vale cerca de 25% de uma arroba e hoje está valendo 50%. Tem bezerro sendo comercializado a R$ 450 a arroba, e a gente não sabe até que ponto isso vai se sustentar”, observa o diretor técnico da Associação de Criadores de Gado do Mato Grosso (Acrimat), Francisco de Sales Manzi, ao lembrar que, por muitos anos, o cenário foi o inverso.

“A margem do invernista diminuiu realmente. Porque o criador está sendo beneficiado. Depois de tantos anos chegou a vez do criador”, completa Guaritá. A conta é simples: se a reposição dos animais está mais cara que o seu valor final, o pecuarista que atua na engorda do rebanho inicia a operação já com margens mais apertadas.

“Se você comprar o bezerro caro apostando numa alta do boi, é uma loteria. Pode acontecer ou não. Ano passado aconteceu”, lembra o sócio-diretor da Athenagro, Maurício Palma Nogueira. Ele observa que o aperto das margens não torna impossível obter lucro na operação, mas exigirá maior gestão dos custos este ano.

“Durante o processo de produção, o pecuarista consegue diluir o custo dessa arroba do bezerro até que caiba dentro do boi que será vendido lá na frente. Costuma ganhar mais e poder pagar mais pelo bezerro quem termina o animal mais pesado e em menor tempo”, explica Nogueira, ao destacar que o cenário atual de mercado deve acentuar o processo de profissionalização do setor.

É consciente disso que muitos têm buscado serviços especializados na engorda, os “boiteis”, ou revisto o tamanho da operação, segundo relata o presidente da Associação Nacional da Pecuária Intensiva (Assocon), Maurício Velloso.

“A procura vai ser grande e os confinamentos menos profissionais deverão diminuir a produção não apenas pela questão de estoque do boi magro, mas principalmente pelo custo de produção muito alto e isso deixa o pecuarista menos profissional assustado pela questão de volume de desembolso”, conta o pecuarista que estima uma redução de até 10% no confinamento este ano.

No boi a pasto, o segredo está na essência da arte da atividade: a hora de colocar e tirar o gado do pasto. “Essa é a grande tecnologia. Todas as outras são acessórias a essa tecnologia. Pode ser algo que pareça óbvio, mas sem isso todo resto se torna desperdício”, observa o presidente da Assocon.

O diretor técnico da Acrimat concorda e faz um alerta: sem profissionalização e uma gestão eficiente, muitos devem fechar no prejuízo este ano. “Nunca foi tão importante ser profissional como agora. Hoje o pecuarista que é muito eficiente, que compra bem seus insumos, tem uma boa escala de abates e de lotação da fazenda, está ganhando um pouco de dinheiro. Mas aquele produtor que não leva em conta tudo isso pode, pelo contrário, estar perdendo dinheiro”, alerta Manzi.

Os preços recordes de soja e milho, que contribuem para pressionar os custos dos confinamentos, têm um peso ainda maior sobre os criadores de aves e suínos. O diretor executivo da Associação Catarinense de Avicultura (ACAV) e do Sindicato das Indústrias Frigoríficas do Estado (Sindifrigo), Jorge Luiz de Lima, diz que o setor está trabalhando com margem negativa nas operações e, olhando só para aves, as empresas devem fechar o primeiro trimestre no vermelho porque não repassaram custos desde o início do ano passado”.

O gerente de consultoria agro do Banco Itaú, Guilherme Belloti, diz que devido às perspectivas de manutenção de preços elevados para grãos nos próximos dois anos, a previsão é de aperto nas margens do setor de proteína animal – sobretudo nas operações de mercado interno, onde a indústria tem encontrado mais dificuldade de repassar preços ao consumidor final. “A grande saída provavelmente é o aumento dos preços em dólares nas exportações”, diz ele. Com informações do Globo Rural.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[13/05/2021] - Quebra de safra de milho preocupa frigoríficos
[13/05/2021] - Prefeito é condenado por receptação de gado
[13/05/2021] - Quanto valerá o boi no final de 2021?
[13/05/2021] - Arroba: pressão de baixa ainda segue
[13/05/2021] - Arroba: mercado paulista está bem lento
[13/05/2021] - Arroba: situação melhorou para os frigoríficos
[13/05/2021] - JBS lucrou R$ 2 bilhões em um trimestre, recorde

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[13/05/2021] - Marfrig prioriza exportações a partir do Uruguai
[13/05/2021] - Leite: Mercosul tem concorrência desleal
[13/05/2021] - Expoinel 2021 deve ser presencial, diz ACNB
[13/05/2021] - Câmara aprova novo licenciamento ambiental
[13/05/2021] - Fábrica de ração gera economia para família em SC
[13/05/2021] - Hoje é o Dia do Zootecnista
[13/05/2021] - Argentina volta a travar exportação de carne
[12/05/2021] - Arroba: escalas alongadas não vão durar
[12/05/2021] - Arroba: pecuaristas travam as vendas em SP
[12/05/2021] - Abate de bovinos caiu 10% em 2021
[12/05/2021] - Marfrig tem resultado recorde no trimestre
[12/05/2021] - Sauditas querem travar importações do Brasil
[12/05/2021] - Safra brasileira será a maior da história em 2021
[12/05/2021] - Conab prevê milho safrinha menor
[12/05/2021] - Quanto está valendo o milho hoje?
[11/05/2021] - Arroba: boi começou a semana em queda
[11/05/2021] - Arroba: frigoríficos reduzem oferta por fêmeas
[11/05/2021] - Exportações de carne bovina caem em maio
[11/05/2021] - Abates cresceram em Mato Grosso
[11/05/2021] - Sauditas tentam explicar embargo ao Brasil
[11/05/2021] - Câmara discute importação de leite do Mercosul
[11/05/2021] - Novo licenciamento ambiental pode ser votado hoje
[10/05/2021] - Arroba: boi parou de cair
[10/05/2021] - Arroba: frigoríficos seguraram compras em SP
[10/05/2021] - Quando o boi volta a subir?
[10/05/2021] - Milho: safrinha pode ser 7% menor
[10/05/2021] - Milho: saca já bate os R$ 110
[10/05/2021] - Preço da terra dispara 50% no Paraná
[10/05/2021] - CNA: retirar vacinação abrirá novos mercados
[07/05/2021] - Arroba: volume de negócios está fraco
[07/05/2021] - Quanto está valendo o boi em São Paulo?
[07/05/2021] - China: importações de carne próximas a recorde
[07/05/2021] - Arábia Saudita embarga frigoríficos brasileiros
[07/05/2021] - O que está por trás do embargo saudita?
[07/05/2021] - Câmara aprova cota para leite nacional na merenda
[07/05/2021] - Polícia faz operação contra roubo de gado em MS
[07/05/2021] - Bolsonaro vai a manifestação de produtores rurais
[06/05/2021] - Queda do boi não vai durar muito
[06/05/2021] - Arroba: frigoríficos pagam menos em SP
[06/05/2021] - Leite: produtor recebeu mais, mas riscos continuam
[06/05/2021] - Custo de produção do leite segue nas alturas
[06/05/2021] - Qual a previsão para o preço do milho?
[06/05/2021] - Governo esgota orçamento para crédito subsidiado
[06/05/2021] - Crédito rural cresceu 12% em um ano
[06/05/2021] - Bolsonaro deve mandar Força Nacional a Rondônia
[06/05/2021] - Tereza pede aprovação rápida da regularização
[05/05/2021] - Arroba: pressão continua
[05/05/2021] - Arroba: frigoríficos compram pouco
[05/05/2021] - Frigoríficos: unidades em férias já voltaram
[05/05/2021] - Lácteos têm pequena alta, mas cenário preocupa

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br