Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
266,00 254,00 268,00
GO MT RJ
261,00 255,00 267,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2330,00
Garrote 18m 2770,00
Boi Magro 30m 3460,00
Bezerra 12m 2050,00
Novilha 18m 2530,00
Vaca Boiadeira 2760,00

Atualizado em: 4/12/2020 13:24

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

O tombo forte do confinamento

 
 
 
Publicado em 14/10/2020

Equivalente a cerca de um sexto da oferta nacional de gado, o confinamento de bovinos no Brasil ficou entre 17% e 30% menor, a depender dos custos de produção em cada região, segundo estimativa do presidente da Associação Nacional da Pecuária Intensiva (Assocon), Maurício Velloso. “Se tem uma coisa acontecendo de muito significativa na pecuária moderna hoje é que o pecuarista passou a fazer conta. Por isso houve tanta resistência de ingresso no confinamento”, aponta Velloso.

Ele lembra que, no primeiro giro de confinamento, ainda em março, o preço futuro da arroba bovina com entrega para outubro chegou a atingir R$ 176 na B3 no início da pandemia, queda de mais de 16% em 30 dias e abaixo do valor pago pelos animais naquele mês, cotado a R$ 186 a arroba na própria B3. “Naquela época, o grão já não estava barato e o pecuarista ficou sem nenhuma condição de travar seus custos ou a venda dos animais”, observa o presidente da Assocon.

No segundo giro, em julho e agosto, embora o valor da arroba já tivesse reagido, a alta dos grãos foi o novo fato desanimador para o confinamento. Em plena colheita da safrinha, as cotações do grão alcançaram o seu recorde histórico, ultrapassando a marca dos R$ 60 a saca de 60 quilos. “O pecuarista ficou apavorado, porque o bezerro, o boi magro, todos os insumos que ele iria usar certo que ficariam mais baratos, subiram muito”, lembra Velloso, ao classificar o segundo giro como “diminuto”.

Mesmo assim, as expectativas são de que, com a valorização dos animais, o segundo giro de confinamento tenha sido melhor que o primeiro - embora ainda abaixo do observado no ano passado. “Os custos continuaram subindo, mas o boi subiu mais. Ficou bonita a conta de novo”, explica Cesar de Castro Alves, consultor de agronegócio do Itaú BBA. Segundo ele, a alta da arroba neste segundo semestre deve trazer resultados “excepcionais” a quem realizou o confinamento.

“O bom negócio vai acontecer pra quem tomou esse risco e já tem tudo. Até porque nem tem mais animais disponíveis neste momento em que as margens ficaram ótimas e não dá mais tempo de alojar para entregar no pico do preço esperado para o início de dezembro”, explica Alves.

Velloso, preisidente da Assocon, alerta, contudo, que esse perfil de pecuarista é um grupo pequeno de criadores, o que explica a falta de animais no mercado. “A oferta de animais existe, mas é restrita. De Rondônia ao Rio Grande do Sul tem gente com gado terminado, mas são animais excepcionais. Novos, muito bem conduzidos, e a um custo de produção superior ao custo dessa arroba colocada”, ressalta o presidente da Assocon ao alertar que “se a indústria não remunerar aquele pecuarista que investiu muito pesado e obviamente se expôs ao risco para ter animais terminados, ele não vai entregar o animais”. “É uma oferta restrita em pari passu com a demanda. Existe gado? Claro que existe, mas não está sobrando”, conclui. Com informações do Globo Rural.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[04/12/2020] - Frigoríficos querem a arroba a R$ 260
[04/12/2020] - Arroba: frigoríficos testam valores menores
[04/12/2020] - China volta a falar de contaminação em carne
[04/12/2020] - Produtores do PR se unem contra aumento da energia
[04/12/2020] - Taxação do Agro pode se espalhar pelo Brasil
[03/12/2020] - Arroba: qual a estratégia dos frigoríficos?
[03/12/2020] - Agrifatto: pico da arroba pode ter passado

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[03/12/2020] - CEPEA: oferta curta e preços em baixa para o boi?
[03/12/2020] - Abates precoces disparam em Mato Grosso
[03/12/2020] - Queda do PIB do Agro no trimestre não é relevante
[03/12/2020] - Dólar cai com força ao menor valor em 4 meses
[03/12/2020] - Milho volta a cair no mercado brasileiro
[03/12/2020] - Aftosa: vacinação é prorrogada em 13 estados
[03/12/2020] - Produtor rural de SP vai pagar muito mais imposto
[02/12/2020] - Preço da carne exportada volta a cair em novembro
[02/12/2020] - Arroba: mercado do boi devagar
[02/12/2020] - Pecuaristas sofrerão pressão de custos em 2021
[02/12/2020] - Marfrig: trabalhadores protestam e param produção
[02/12/2020] - Pecuaristas vão à Justiça contra frigoríficos
[02/12/2020] - Leite: preços devem cair e pressionar produtor
[02/12/2020] - Bancada do Agro tem novo presidente
[02/12/2020] - Aglomeração de cavalos é proibida no Tocantins
[02/12/2020] - Milho cai com recuo do dólar
[02/12/2020] - Indústria já cresce acima do nível pré-pandemia
[02/12/2020] - Reino Unido aprova vacina contra Covid-19
[01/12/2020] - CNA prevê PIB do agro 3% maior em 2021
[01/12/2020] - Carne: mercado espera vendas aquecidas neste mês
[01/12/2020] - Arroba: não está sobrando boi
[01/12/2020] - Como ficará o mercado do leite neste fim de ano?
[01/12/2020] - Agrishow muda data do evento em 2021
[01/12/2020] - Produtores rurais terão aumento de custo no Paraná
[30/11/2020] - Arroba: frigoríficos continuam forçando a baixa
[30/11/2020] - Leite: imposto maior vai levar pecuarista ao preju
[30/11/2020] - Milho: preços caem e travam negociações
[30/11/2020] - Ladrões de gado são mortos pela PM
[30/11/2020] - IBGE: Agro gerou mais de 300 mil empregos
[30/11/2020] - Goiás: Agro criou vagas de emprego em 2020
[30/11/2020] - Mercado melhora previsões sobre o Brasil em 2021
[27/11/2020] - Arroba: queda de R$ 5 de um dia para o outro?
[27/11/2020] - Safras: frigoríficos seguem pressionando o boi
[27/11/2020] - Restaurantes mudam foco para cortes mais baratos
[27/11/2020] - Sêmen sexado ainda é pouco usado em gado de corte
[27/11/2020] - Agro puxou alta de 3,2% no IGP-M?
[27/11/2020] - Desemprego ainda está acima de 14%
[27/11/2020] - Indústria pede urgência no acordo UE-Mercosul
[27/11/2020] - Frigoríficos vivem dias de caos na Alemanha
[26/11/2020] - Exportações podem crescer 5,5% em 2021
[26/11/2020] - Arroba: frigoríficos seguem tentando baixar o boi
[26/11/2020] - Boi está em falta. Tem como cair mais?
[26/11/2020] - Milho: preço caiu lá fora, mas não no Brasil
[26/11/2020] - Setor de máquinas tem o melhor desempenho do ano
[26/11/2020] - Sementes misteriosas contêm pragas, segundo o MAPA
[26/11/2020] - FPA: nova lei de falências é vitória para o Agro
[26/11/2020] - Brasil supera projeção e abre quase 400 mil vagas
[25/11/2020] - Qual a perspectiva para o boi em 2021?
[25/11/2020] - Arroba: pecuarista continua recusando oferta menor
[25/11/2020] - Alta na arroba não alivia situação do pecuarista

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br